Dicas para o seu cão

Queremos Justiça!
25 de setembro de 2012
Aprenda a regar suas plantas corretamente
10 de fevereiro de 2013

Dicas para o seu cão

Cães são companheiros, brincalhões e espertos. Adoram carinho e uma boa brincadeira.

 

Xixi e cocô: Como ensinar seu filhote a fazer as necessidades biológicas no lugar certo?

Em primeiro lugar, tenha consciência que seu novo amiguinho está chegando em um ambiente diferente, com odores diferentes e uma rotina diferente. Tudo isso, por ser novo para ele, leva um tempo até que o animal se acostume e se adapte ao novo espaço.

À princípio, ele fará o xixi e o cocô em qualquer lugar da casa. O adestramento no jornal leva um tempo e paciência.

Molhe o jornal com um pouco do xixi que o bichinho acabou de fazer (para que ele possa se familiarizar com o cheiro e associar que é ali o lugar do xixi) e limpe com desinfetante o local “errado” para que ele não sinta mais o cheiro. Toda vez que ele fizer fora do jornal, dê uma bronca dizendo um “NÃO”, leve-o ao local adequado e em seguida, agrade o animal. De vez em quando, leve-o ao local onde estão os jornais para que ele não esqueça o caminho.

OBS: Isso terá que ser feito toda vez que ele fizer as necessidades fora do lugar, para que o bichinho vá entendendo o procedimento correto. Isso leva tempo. Tenha paciência com seu animalzinho.

 

Banho: Você pode começar a dar banho no seu cão a partir de 45 dias de idade, contanto que a temperatura (do tempo) esteja quente. Jamais banhe um filhote novo em dias extremamente frios. Há veterinários que indicam o primeiro banho com mais idade. SIGA A ORIENTAÇÃO DO VETERINÁRIO QUE TRATA DO SEU ANIMAL.

O banho pode ser dado semanalmente, mas a freqüência irá depender da raça e da tolerância do animal. Se ele começar a apresentar muitos problemas de pelagem e/ou pele, você deve diminuir a frequência dos banhos e consultar seu veterinário.

OBS: A água tem que ser morninha e o shampoo apropriado para cães.

OBS 2: Uma solução para limpeza e higiene entre os banhos, é misturar um bom punhado de cravo em meio litro de álcool e limpar o animal com um pano embebido na solução.

Tenha paciência quando seu cão fazer bagunças. Afinal, ele está apenas brincando!

 

Alimentação: O animal deverá ser acostumado a ração desde filhote. A primeira consulta do veterinário poderá esclarecer qual será a mais adequada a seu cãozinho. Procure escolher uma ração que tenha bastante vitaminas e proteínas, pois existem rações que são ditas “de manutenção” que só servem para ser misturadas às normais, pois não são suficientes para abastecer a necessidade de nutrientes que um animal precisa.

Mesmo que o filhote rejeite a ração, insista. Não fique tentando oferecer outro tipo de alimento como carne e arroz, isso só vai piorar. Se for o caso, misture um pouco de ração de latinha para que ele comece a acostumar com o novo alimento.

A ração de adulto só é recomendada para animais com mais de 1 ano de idade.
Os filhotes comem 3 a 4 vezes ao dia quando pequenos e passam a comer menos à medida em que vão crescendo; assim, reduza o número de refeições gradativamente. O adulto (a partir de 1 ano) come 2 vezes ao dia.

Restos de comida, doces, massas e tudo o que não for prescrito pelo veterinário deve ser evitado, mesmo que o cão goste ou queira comer.

O cão que “pede” comida da mesa dos donos deve ser repreendido ou retirado do local das refeições familiares. Mudanças alimentares devem ser feitas gradativamente ou o animal poderá apresentar diarréia.

Vermifugação: Vermifugar o animal é fundamental para sua saúde e vida prolongada. Os filhotes podem tomar vermífugo à partir de 1 mês.

 

Vacinação: As vacinas são primordiais para a saúde e bem estar do animal e de seus donos.

 

Castração: Medida super importante para evitar o sofrimento, o abandono e a superpopulação.

 

Idade: Um cão vive em média 10 a 15 anos, e sua velhice exige paciência, amor e cuidados (como nós).

 

Aprendizado: Tudo o que você quiser que seu animal aprenda, faça com carinho e paciência, pois eles são como eternas crianças e merecem nosso respeito e consideração. Lembre-se que cada animal possui um temperamento diferente e precisa de cuidados, compreensão e paciência como todos nós.

Comente com sua conta do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *